Grade e Corpo Docente

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO

MISSÃO DO CURSO

Tornar-se um centro especializado de formação de bacharéis em Administração que possam exercer suas atribuições profissionais, com competência e responsabilidade ética, perante as organizações e a sociedade em geral, possuidor de visão crítica e analítica, com espírito empreendedor e capacidade de planejar e promover mudanças, apto a tomar decisões que contribuam para a melhoria da gestão empresarial, pública e o exercício da cidadania.

CONCEPÇÃO DO CURSO

 As organizações necessitam de líderes e gestores que possuam habilidades para atuação eficiente nesses tempos de constantes mudanças e transformações radicais.

Para a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade - CNEC, o ensino das Ciências Gerenciais no Brasil deve contribuir criativamente para o desenvolvimento da sociedade brasileira moderna, adaptando-se às inovações do conhecimento e absorver, ao mesmo tempo, as condições tecnológicas básicas para a acumulação de informações e conhecimento que respondam às exigências de seu próprio desenvolvimento e expansão.

Desta forma, se, por um lado, precisa contribuir para consolidar novos institutos gerenciais como instrumentos de viabilização das demandas sociais emergentes e do acelerado processo integrativo das sociedades modernas, por outro lado, precisa estar integrado e voltado para as questões essenciais dos problemas e demandas regionais de desenvolvimento.

Assim, o curso de Administração da FACERB construirá meios para a sensibilização do educando para as habilidades de liderança e para todas as etapas da administração em geral e especificamente para a linha de formação em Administração Pública, foco principal do curso.

Seu diferencial será a preparação dos alunos para a criação de novos negócios bem como para o planejamento, implantação e administração de micro, pequena e média organizações. As atenções em novas oportunidades, às estratégias para atendimento de novas exigências do mercado e o desenvolvimento da gestão pública, serão também dimensões trabalhadas nos conteúdos de disciplinas principalmente àquelas localizadas nos semestres finais do curso.

Os alunos trabalharão especialmente nas questões de globalização e de internacionalização no nível dos procedimentos, de tecnologias e demais aspectos relacionados à administração pública, inclusive, os voltados para o setor público federal, estadual e municipal.

A formação para o administrador do futuro deverá considerar as necessidades da população pensada na sua totalidade e não apenas em termos de grupos privilegiados ou dominantes.

Por isso o profissional que se pretende formar deve estar conectado aos avanços científicos e tecnológicos, tanto geral como específico dentro da sua área de abrangência.Não se limitará a considerar apenas a ciência e a tecnologia, mas refletirá sobre os seus usos, possibilidades e limites.

Também é necessário levar em conta as tendências da realidade sócio-econômica e cultural da região, especialmente os relevantes aspectos do desenvolvimento sustentável da região e do país e a criação de um sistema de valores, suficientemente abrangente e culturalmente significativo capaz de orientar a ação do futuro profissional.

O presente curso de Administração, com linha de formação em Administração Pública, foi concebido para: formar profissionais que possam ser excelentes condutores de pessoas e equipes, criar o seu próprio negócio bem como liderar empreendimentos e organizações públicas e privadas; que saibam recrutar, inspirar, motivar e recompensar equipes e pessoas, de forma justa; que assumam o papel saliente de impulsionador de mudanças, inclusive nos momentos de crises econômicas; que estejam compromissados com a formação contínua – sua e de sua equipe.

Também, para viabilizar a convivência harmônica entre o saber tradicional e dogmático; o saber humanístico interdisciplinar, como seu fundamento de origem e o saber científico e tecnológico.

Sendo assim, voltará suas atividades acadêmico-científicas para oferecer ensino que gere ações inovadoras em todas as disciplinas e atividades, tornando a investigação científica sua base.

Dessa forma, concebe a formação do profissional gestor, com linha de formação em Administração Pública de fundamental importância para o fomento das novas oportunidades de mercado, para a busca de modernos direcionamentos de gestão sintonizados com as demandas sociais.

Nesse contexto, o curso de Administração da FACERB vem contribuir para a formação de novos gestores, profissionais atualizados e em sintonia com a realidade empresarial, o mercado em sua amplitude e, especificamente, com o setor público.

E para isso, a estrutura curricular proposta e o conteúdo programático do curso estão voltados para a formação de administradores aptos a atuarem nesse cenário, proporcionando o desenvolvimento pessoal e profissional dos futuros formandos e ajudando no desenvolvimento sócio-econômico da região e do País.

OBJETIVOS DO CURSO

GERAL 

Formar profissionais capazes de aliar a competência profissional a uma consciência crítica, contemplando as tendências que regem a produção do saber nas áreas do conhecimento da Administração, para a aquisição das habilidades específicas do profissional nele formado, e principalmente a construção do espírito inovador e criativo que possa gerar o crescimento e desenvolvimento social e preparar, em sentido amplo, o ser humano para a vida.

 

ESPECÍFICOS

Proporcionar ao futuro Administrador, com linha de formação em Administração Pública, condições para ser apto a:

>> planejar, supervisionar, orientar e controlar os serviços da administração pública e privada;

>> interagir criativamente face aos diferentes contextos organizacionais e sociais;

>> lidar com modelos de gestão inovadores e atividades públicas, com capacidade de atuação em ambientes favoráveis, incentivando e ampliando oportunidades de criação de novos negócios que influenciem no avanço da sociedade, principalmente atingindo as necessidades da comunidade em que está envolvida a FACERB.

ÁREA DE ATUAÇÃO

O mercado de trabalho para o profissional de administração é amplo, abrangendo a área privada, a pública e o terceiro setor, que vem despontando como área de grande absorção de profissionais qualificados, principalmente na capital do país, onde se encontram inúmeros organismos internacionais com seus projetos de alcance sócio-ambiental.

O mercado é, portanto, amplamente favorável ao ingresso de novos profissionais bem preparados e orientados por valores éticos. Além de a Capital Federal ser uma referência para o vasto campo de atuação desses profissionais, existem várias autarquias, órgãos públicos e organizações espalhadas pelo Brasil, existem também, as de nível estadual e municipal que tornam o campo de atuação mais amplo ainda.

No setor privado, de acordo com informações fornecidas pelo Conselho Federal de Administração, existem no Brasil cerca de 5.400.000 empresas e pouco mais de 900 mil bacharéis em Administração, significando, portanto, que a cada cinco empresas somente uma possui bacharel em Administração, em média.

Há, portanto, uma expressiva demanda latente para profissionais de administração que, a partir de uma fiscalização mais rigorosa do exercício da profissão encontrarão cada vez mais oportunidades para atuar.

No setor público, não se dispõe de números sobre a absorção de profissionais de administração na esfera pública, porém, ao se julgar pelo número de vagas abertas em concursos públicos, há muita demanda para administradores que estejam aptos a compreender a complexidade e o estágio atual de desenvolvimento do Estado e da gestão das políticas públicas.

No terceiro setor, observa-se demanda crescente por profissionais capacitados, a partir da ampliação dos projetos voltados à preservação ambiental, à Assistência às camadas menos favorecidas da sociedade brasileira e ao atendimento de demandas oriundas de organismos internacionais que desenvolvem suas atividades no país.

Vários anúncios têm sido veiculados em jornais de grande circulação, solicitando profissionais de administração para atuar em projetos de organismos internacionais voltados à solução de problemas sociais ou ambientais.

Desse modo, o profissional de administração, formado para gerir negócios públicos ou privados tem ao seu alcance a possibilidade de atuar no Terceiro Setor, disputando as oportunidades oferecidas nesse segmento.

 

Informações atualizadas no dia 31/07/2017.

Conteúdo Curricular

O Planejamento Curricular idealizado para o curso de Administração com linha de formação em Administração Pública, aqui proposto, é resultante, fundamentalmente, da reflexão sobre sua missão, concepção e seus objetivos, bem como, o Parecer CES/CNE nº 134/2003 e a Resolução nº 4/2005, que trata das Diretrizes Curriculares para a área. Também foram consideradas as características especiais do profissional que se pretende formar.

O currículo contempla atividades complementares da área de Administração, como instrumentos da interdisciplinaridade e como ambiente propício ao desenvolvimento de novos campos ou temas emergentes.

Essas atividades concedem flexibilidade curricular ao curso, proporcionando a oferta de conteúdos variáveis, contemporâneos aos avanços e às mudanças da sociedade, da ciência e da tecnologia.

As Atividades Complementares no curso de Administração vão proporcionar, já a partir do primeiro semestre do curso, o contato do aluno com os temas da área.

Nas áreas de formação básica e instrumental incluem-se disciplinas consideradas fundamentais para o exercício profissional de Administração hoje e nas próximas décadas. Já na formação profissional específica incluem-se disciplinas voltadas para a formação do profissional da área da Administração de uma forma geral.

O Trabalho de Conclusão de Curso deverá ser elaborado e apresentado no último semestre letivo, como forma de conclusão do estágio, sob orientação docente, adotando regulamentação específica.

Além do TCC, à aplicação prática dos conhecimentos adquiridos pelo aluno, se dará pela Empresa Júnior, bem como pelos programas de iniciação científica, monitoria e extensão da instituição.

MATRIZ CURRICULAR

O currículo do curso de Administração abrange uma seqüência de disciplinas e atividades ordenadas semestralmente em uma seriação considerada adequada para o encadeamento lógico de conteúdos e atividades.

O currículo do curso inclui as disciplinas que representam o desdobramento dos conteúdos inseridos nas diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em Administração e outras julgadas necessárias à boa formação do alunado.

MATRIZ CURRICULAR – ADMINISTRAÇÃO

NOVA MATRIZ CURRICULAR – ADMINISTRAÇÃO

Corpo Docente

Respeitada a exigência legal de um terço de mestres e doutores para a Instituição de Ensino Superior, a FACERB toma como título mínimo para ingressar no seu quadro de carreira o obtido em cursos de Pós- Graduação Lato Sensu de instituições credenciadas.

É exigida do candidato a professor uma experiência mínima de um ano, tanto no magistério superior quanto fora dele. Para a função de coordenador, é exigida experiência de seis meses em uma função gerencial; de dois anos como professor de ensino superior e, no mínimo, de um ano em atividades fora do magistério relacionadas ao curso que irá coordenar.

Segue abaixo a listagem do Corpo Docente:

> Formação Docente 2016

> Perfil Docente 2016

Coordenadora: FABIANA DA SILVA LEITE

Telefone: (21) 2734-2313 Ramal 31

E-mail: fabianaleite@cnecrj.com.br

Currículo Lattes

Docentes:

Bianka Alvim – http://lattes.cnpq.br/0108052944453207

Claudio Dantas –  http://lattes.cnpq.br/5380937513427353

Eberson Moraes –  http://lattes.cnpq.br/7958555315592032

Fabiana da Silva Leite – http://lattes.cnpq.br/6071474653161249

Luis Felipe Cavalcante – http://lattes.cnpq.br/7184422435567864

Marilma Campos Mota – http://lattes.cnpq.br/8958682104953938

Wagner da Costa Souza – http://lattes.cnpq.br/6708286207248705

 

 

Duração do Curso

Duração do curso: 4 anos

Semestres: 8
Período: Noturno
Carga horária total: 3.180 horas

Formas de Avaliação

A Faculdade Cenecista de Rio Bonito – FACERB realiza avaliação de desempenho acadêmico por disciplina, observando a participação e o aproveitamento dos discentes.

Será considerado aprovado o aluno que obtiver média semestral igual ou superior a 7,0 (sete) por disciplina.

O aluno que não obtiver a média semestral, mas conseguir alcançar média igual ou superior a 4,0 (quatro) nos dois bimestres na (s) disciplina (s) em que não foi aprovado será submetido ao exame final.

O aluno que não alcançar a média mínima nos dois bimestres será automaticamente reprovado na (as) disciplinas.

A nota do aluno submetido a exame final é o produto de: (MB + EF) / 2, sendo MB = média das notas bimestrais e EF = nota do exame final.

O aluno que for submetido a exame final será considerado aprovado se alcançar média final igual ou superior a 5,0 (cinco), na disciplina.

Forma de Avaliação – Grade Nova

Nas disciplinas presenciais, o processo avaliativo semestral ocorre pela aplicação de quatro instrumentos de avaliação, a saber:

I – N1 (Nota 1) com peso de 35% – lançada até a 9ª semana do período letivo, que pode incluir provas escritas ou defesas orais, trabalhos escritos com exposição oral ou não, resolução de temas práticos, entre outros.

II – N2 (Nota 2) com peso de 35%  – lançada até a 18ª semana do período letivo, que pode incluir provas escritas ou defesas orais, trabalhos escritos com exposição oral ou não, resolução de temas práticos, entre outros;

III – N3 (Nota 3) com peso de 30%  – Trabalho interdisciplinar individual ou em grupo, desenvolvido ao longo do semestre, com acompanhamento docente e com apresentação final conforme definição no início do semestre letivo.

IV – Avaliação Substitutiva – Prova realizada na 20ª semana do período letivo, solicitada pelo aluno com a finalidade de substituir a N1 ou a N2.

VI- A aprovação do aluno se dará pela soma da N1, N2 e N3 devendo alcançar um mínimo de 70% de aproveitamento. Média Final inferior a 70% implicará em reprovação do aluno.

V- Em caso de reprovação por nota, o aluno poderá solicitar dependência na modalidade semipresencial. Será permitida a dependência em, no máximo, duas disciplinas nas quais tenha sido reprovado no semestre. Portanto, se o aluno já estiver reprovado em uma ou mais disciplinas por nota, além das duas permitidas, terá perdido o período. O aluno reprovado por frequência não terá direito a solicitar dependência.

  • 2°. Nas disciplinas semipresenciais o processo avaliativo semestral ocorre pela aplicação de três instrumentos de avaliação, a saber:

I – N1 (Nota 1) com peso de 50%  – lançada até a 9ª semana do período letivo que incluir provas escritas.

II – N2 (Nota 2) com peso de 50%  – lançada até a 18ª semana do período letivo que incluir provas escritas.

III – Avaliação Substitutiva – Prova realizada na 20ª semana do período letivo, solicitada pelo aluno com a finalidade de substituir a N1 ou a N2.

IV- A aprovação do aluno se dará pela soma da N1 e N2 devendo alcançar um mínimo de 70% de aproveitamento. Média Final inferior a 70% implicará em reprovação do aluno.

Grade de Aula

Programa de Curso

Recursos Disponíveis

 

  • Salas de aula com recursos de multimídia;
  • Salas de aula climatizadas;
  • Laboratórios de informática;
  • Auditórios para palestras;
  • Biblioteca;
  • Acessibilidade para portadores de necessidades especiais;
  • Wi-fi para os alunos;
  • Cantina,
  • Ouvidoria,
  • Núcleo de Atendimento ao Estudante- NAE;
  • Programa de Acompanhamento ao Egresso.

Requisitos

Para acesso ao curso o candidato deve:

Ter concluído o Ensino Médio
Submeter-se ao Processo Seletivo da Instituição ou nota obtida no ENEM.